Menú Atrás Adiante Índice

 

Tumores cerebrales
Em o recém-nascido, os tumores cerebrais se podem manifestar com convulsões. Aproximadamente de 14% aos 20% dos recém-nascidos com tumores cerebrais têm convulsões. A localização dos tumores cerebrais é mais freqüentemente supratentorial que infratentorial. Os teratomas são os tumores supratentoriales mais freqüentes. Eles revistam apresentar-se no momento do nascimento. A ressonância magnética é o método de eleição para diagnosticar os tumores do cérebro. O tratamento é cirúrgico. A vezes se usa quimioterapia. A radioterapia raramente se usa devido a seus efeitos deletérios no desenvolvimento neurológico futuro. Mais sobre o tema... 257, 288

Esquizoencefalia
A esquizoencefalia consiste em um canal, rodeado por casca cerebral, que permite a comunicação entre o espaço subaracnoideo e os ventrículos. A esquizoencefalia se diagnostica pelo TAC ou preferivelmente pelo RM; seu aparência é muito característica, pois consiste em um canal magro ou largo que se estende da casca cerebral aos ventrículos. A esquizoencefalia é unilateral ou bilateral. As paredes das fendas ou lábios mostram uma casca anormal com heterotopia neuronal freqüente. Os lábios podem ser adjacentes ou distantes um do outro. A esquizoencefalia ocorre freqüentemente nas regiões rolándicas e fissuras silvianas. A esquizoencefalia está acostumado a acompanhar-se de hipoplasia do nervo óptico e ausência do septum pellucidum.
Os recém-nascidos com esquizoencefalias com lábios unidos e unilaterais têm melhor prognóstico que as esquizoencefalias com lábios separados e bilaterais. As convulsões se tratam com drogas antiepilépticas. É possível a concomitância de hemiparesia e atraso mental, embora a primeira poucas vezes está presente no perído neonatal. Em recém-nascidos com esquizoencefalia deve se ter em conta a possibilidade de tratamento cirúrgico em presença de epilepsia rebelde aos medicamentos. Mais sobre el tema... 257

 

Menú Atrás Adelante Índice
Isaacs, 1997