Menu Atrás Adiante Índice


As manifestações da hérnia transtentorial central se caracterizam pelo dano progressivo rostrocaudal do tronco encefálico. Inicialmente se apresentam sinais de transtornos do mesencéfalo: desvio de ambos os olhos para baixo como resultado da compressão dos colículos superiores, alterações da pupila que indicam compromisso do núcleo de Edinger-Westphal ou de suas fibras e alterações dos músculos extrínsecos do olho como conseqüência do compromisso assimétrico do núcleo do nervo oculomotor comum ou do fascículo longitudinal medial. Os sinais de disfunção mesencefálica são seguidos por outros devidos a transtornos na ponte: movimentos oculares não conjugados por compromisso do fascículo longitudinal medial e assimetrias faciais por compromisso das fibras do nervo facial. Posteriormente se apresentam manifestações bulbares: dificuldade na deglutição e apnéia.
O diagnóstico de hérnia transtentorial do úncus ou central se estabelece por estudos de imagem. Estes estudos revelam patologia supratentorial, obliteração das cisternas situadas por volta do trono encefálico ou evidenciam diretamente a compressão. (Figura 24.1).
O tratamento da apnéia ocasionada por hérnia transtentorial é respiração mecânica. O paciente deve ser ventilado para manter uma PaCO2 de 25 a 30 mm Hg., e deve receber manitol por via intravenosa na dose de 250 mg/kg e iniciar o tratamento etiológico.

Figura 24.1. Edema cerebral difuso e obliteração da cisterna ambiens.

 

Menu Atrás Adiante Índice
artéria basilar fosa anterior lolo occipital lobo ocicpital confluência  dos seios venosos basilar artery cisterna ambiens obliterada cisterna ambiens obliteerada cisterna pontis cisterna intercolicular cerebelo lobo temporal lobo temporal mesencéfalo Pulse sobre a figura para ver a animmação; ou detenha o indicador nas diferentes áreas (flechas) da figura. A figura deve estar no centro da página.