Menu Atrás Adiante Índice

 

Hérnias transtentoriais
As hérnias transtentoriais são raras em neonatos porque as suturas e fontanelas estão abertas. Dois tipos de hérnias transtentoriais se produzem no período neonatal: a do úncus e a central. A hérnia transtentorial do úncus se comporta como uma lesão sólida extra-axial na fossa posterior. O úncus do lobo temporal atravessa a incisura da tenda, empurra o tronco encefálico para um lado e o comprime. A manifestação clínica inicial da hérnia do úncus é midríase seguida por desvio externo e inferior do olho. Estes achados se explicam pela compressão do nervo oculomotor comum. Aos sinais de compressão do nervo oculomotor comum se somam manifestações bilaterais devidas a dano do tronco encefálico (o tronco encefálico fica comprimido entre a hérnia do úncus por um lado e a borda da tenda do cerebelo pelo outro). O dano rosto-caudal torna-se evidente a medida que a hérnia se dirige em direção à medula. A hérnia transtentorial do úncus se deve a processos patológicos supratentoriais em particular hemorragias e edema do lobo temporal. Segundo publicações no período neonatal a hérnia do úncus apresenta-se em casos de meningite.
A hérnia central se comporta como uma lesão de linha média da fossa posterior. Neste caso o diencéfalo é desalojado através da incisura tentorial.

 

Menu Atrás Adiante Índice
Feske, 1992 Feske, 1992